[Ficção Científica] Novo Cenário: Fronteiras

Fronteiras é o nome provisório de um mundo de Ficção Científica que venho rascunhando. É focado na expansão da humanidade pela Via Láctea e nos estados interestelares formados por ela no século LXI. Meu objetivo com esse cenário é criar um universo mais parecido com minha ideia de como se daria a exploração do espaço fora do sistema solar. Para mim a humanidade ainda demoraria vários séculos para sequer sair do sistema solar, e a exploração das sistemas vizinhos seria lenta, inicialmente feita com sondas. Apenas depois de séculos de exploração é que seria descoberta uma maneira de se viajar utilizando a dobra espacial.

Mesmo assim, exploração continuaria lenta, de forma que mesmo após quatro milênios a humanidade só teria mapeado um espaço de menos de 500 anos-luz de diâmetro na Via Láctea. E mais ainda, até agora não foi encontrado nenhum sinal de vida alienígena, nem mesmo uma bactéria. Pelo menos é isso que os governos contam aos seus cidadãos. Digo governos porque existem vários estados interestelares formados pelo que se tornou a humanidade. Para ser mais exato, no século LXI existem cinco desses estados, sem contar os planetas independentes.

Não vou entrar em detalhes sobre a história desses estados interestelares, mas por enquanto basta dizer que antes da última grande guerra terrana1.Terrano é o termo genético que utilizarei para designar os colonos humanos em geral. No entanto, este termo é mais utilizado em referência às colônias que ainda tem laços com a Terra havia a Sexta Confederação Terrana, um estado interestelar que englobava dezenas de sistemas, incluindo o que hoje forma todo o território da Sétima Confederação Terrana, da República do Homem, da Comunidade Interestelar e parte do território da Aliança Nômade, Coalizão dos Sistemas e alguns mundos independentes.

A Sexta Confederação já vinha apresentando sinais de declínio há décadas devido a crises econômicas e tensões sócio-políticas provocadas pelos movimentos de vários grupos políticos, cada um com sua própria agenda. Todas essas tensões vieram a provocar a grande guerra que fragmentou a Sexta Confederação, dando origem aos vários estados citados anteriormente.

A Guerra

A grande guerra travada pelos terranos começou como uma guerra civil e durou mais de uma década. Duas facções principais lutaram na guerra: os legalistas da Confederação Terrana e aqueles que mais tarde formariam a República do Homem, na época chamados simplesmente de “Separatistas” pelos legalistas terranos. Já os próprios separatistas se proclamavam como a “Aliança dos Herdeiros do Homem”. Inúmeras batalhas ocorreram entre as facções, mas as últimas batalhas são consideradas as mais importantes, pois selaram o desfecho do conflito. Outras facções também participaram, enquanto outros sistemas permaneceram neutros, alguns conseguindo até mesmo evitar a guerra completamente.

Inicialmente, os legalistas venceram diversas batalhas, garantindo o controle da capital terrana, o planeta Terrania Prime*. mas a ferocidade dos super-soldados da AHH provocaram cada vez mais baixas, e colônia após colônia foi tomada. A Batalha de Kennex, ocorrida cinco anos após o início da guerra em Terrania Prime, representou a virada definitiva da balança da guerra para o lado dos AHH. A colônia foi tomada e as ricas minas e estaleiros espaciais do sistema passaram para o controle dos separatistas. Com o controle de Kennex, a produção de naves de guerra da AHH quase dobrou e em menos de um ano tomaram cinco sistemas vizinhos, incluindo o planeta-fazenda Deméter III, que fortaleceu as linhas de suprimento dos separatistas.

Foi após a tomada de Deméter III que Nicolas Vausch, um dos principais generais dos separatistas, após uma conferência com os líderes dos Herdeiros do Homem, ofereceu um acordo de cessar-fogo aos terranos, que foi negado por eles. Como resposta, o próprio Vausch liderou uma grande frota que atacou Terrania Prime e aniquilou as suas defesas. Os bombardeiros então começaram a varrer várias instalações militares e industriais do mapa, incapacitando severamente a produção terrana. O planeta só foi salvo graças à uma frota de emergência comandada pelo general terrano Eddard Lincoln, que conseguiu a muito custo derrotar Vausch e expulsá-lo de Terrania.

Apesar disso, com o ataque sofrido em sua própria capital e a destruição de sua capacidade industrial, a guerra estava perdida. O próprio general Lincoln, herói de ambas as Batalhas de Terrania Prime, sabia que seria apenas uma questão de tempo até que os separatistas vencessem a guerra. Então, após entrar em contato com Vausch, ele o convenceu a se reunir com os líderes separatistas, que mais uma vez ofereceram uma cessar-fogo. A acordo foi assinado, com a cessão vários sistemas para o controle dos separatistas.

A guerra contra os Herdeiros do Homem havia terminado, mas a Confederação Terrana ainda estava longe de alcançar a paz. As outras fações terranas demandavam coisas diferentes após o estabelecimento do cessar-fogo: umas queriam continuar a guerra enquanto outras queriam independência. Seguiu-se uma nova guerra civil que culminou com a independência de vários sistemas. Ao fim da guerra, as facções independentes abandonaram Terrania Prime e iniciaram-se os reforços de reconstrução, com a simultânea convocação de uma Assembleia Constituinte para elaborar uma nova constituição para o novo governo. Era o fim da já fragmentada Sexta Confederação e o o estabelecimento da Sétima Confederação Terrana.

Comentários

Espero que tenham gostado do texto e do cenário. Ainda tenho vários parágrafos de texto bruto de Fronteiras que precisam ser melhorados antes que eu os publique aqui no blog, pois pretendo fazer uma série de posts, cada um falando um pouco mais sobre o cenário de Fronteiras.

Algo mais que gostaria de comentar sobre o cenário é que gosto de pensar que Fronteiras tenta puxar bastante para o lado da ficção científica “hard”, mas sem deixar de lado a viagem especialmais-rápida-que-a-luz. A questão é que viagem mais-rápida-que-a-luz nem sempre quer dizer que o corpo ou a informação viagem de um ponto a outro com velocidade acima de “c”. No caso de Star Trek, por exemplo, a Enterprise se move a velocidades abaixo de c, mas consegue chegar a seu destino muito rapidamente porque o espaço é dobrado ao redor dela, reduzindo drasticamente a distância e permitindo chegar ao destino mesmo movendo a velocidades sub-luminais.

Notas   [ + ]