[Mundo de Trevas] Astecas: La Santa Muerte

La Santa Muerte

Fundação: 1965, estado de Hidalgo, México
Base: Favela Morelos, Cidade do México
Atuação: Grandes cidades do México e sul dos Estados Unidos
Personalidades: Mictlantecuhtli.

Os Astecas e outras civilizações que dominaram o Vale do México antes deles sempre mantiveram ligações profundas com o culto da morte, personificado pelo deus Mictlantecuhtli. Com a conquista espanhola, os cultos de todos os deuses locais foram desagregados e em seu lugar foi disseminada a fé católica. Entretanto, o povo mexicano herdou de seus antepassados a veneração pela morte. Por todos os anos seguintes essa veneração se traduziu em festivais para celebrar a morte, como o conhecido “Dia dos Mortos”, quando os mexicanos fazem festas para comemorar e de certa forma venerar a morte.

Por inúmeros anos os mexicanos viam na celebração da morte apenas um símbolo de renascimento da sofrimento de suas vidas miseráveis e as condições miseráveis de vida tornaram as favelas um terreno favorável a qualquer coisa que os prometesse tirar da miséria. Durante todo o tempo as celebrações a morte forneceram forma-pensamento ao deus Mictlantecuhtli e sua consorte, Mictlantecihuatl, que estavam adormecidos por quase cinco séculos, após um combate com os anjos, que drenou boa parte de seus poderes e quase os destruiu. Os anjos lacraram a Fortaleza de Ossos, Mictlán, e por muitos anos pareceu as bruxas Cihuateteo ficaram livres do jugo de seu antigo mestre, enquanto os anjos acharam que o México estava livre da influência dos antigos deuses pagãos.

Mas o contínuo acúmulo de forma-pensamento forneceu energia ao deus da morte, até que em 1965 Mictlantecuhtli e sua consorte Mictlantecihuátl despertaram. Rapidamente, Mictlantecuhtli notou que era o único deus asteca que ainda recebia orações e preces de forma substancial, e então arquitetou um ano para influenciar novamente o México. O deus convocou os servos vampíricos Cihuateteo e com a ajuda das bruxas mexicanas e de criminosos foi formoada a seita da Santa Muerte, ainda no mesmo ano de seu despertar.

Os Civatateo que assumiram o comando da Santa Muerte eram do estado de Hidalgo e começaram agindo por lá, para depois se expandir pelas outras periferias do país. Para estender a influência mais rapidamente, a seita se aliou aos traficantes de drogas, atraindo-os para fazer parte do culto. Com o tempo políticos e executivos também entraram na seita, abrindo brechas para o controle das instituições políticas.

Sua expansão tem sido rápida, principalmente nas perifeiras pobres e violentas, em geral áreas de narcotráfico e grande criminalidade. O culto disfarçado a Santa Muerte representa uma das poucas opções para o povo pobre e marginalizado das urbes mexicanas. Aos poucos a influência da Santa Muerte vem chegando aos Estados Unidos através da onda de imigrantes ilegais que para lá vão todos os dias, expandindo ainda mais seu raio de ação.

Características: A seita não usa a própria figura e nome de Mictlantecuhtl, usando outra figura de culto, que tem a forma de uma “Santa”. Quando vista como entidade masculina, a “Santa” possui a mesma aparência da Morte, com foice, manto negro, aparência cadavérica, segurando também uma balança. Quando visto como entidade feminina, possui a aparência semelhante à de Nossa Senhora: longo véu branco, coroa de ouro sobre o véu). Oferendas a ela incluem rosas, tequila e velas. Seus seguidores veneram-na para recuperação da saúde, encontrar itens perdidos e até encontrar parentes sequestrados.

Existem duas categorias de seguidores, uma mais popular, formada por trabalhadores assalariados e residentes em áreas de violência, que servem como fonte de forma-pensamento para os deuses astecas e como bucha de canhão da seita. Existem também os verdadeiros seguidores da Santa Muerte, encontrados policiais corruptos, traficantes, executivos e até alguns políticos influentes. A seita procura estender sua influência no submundo, adquirindo espaço para a ação dos servos dos deuses, em sua maioria os vampiros Cihuateteo.

Graus: Dentro da Santa Muerte existem os fiéis comuns, que não possuem contato com o sobrenatural, muitos deles servindo como bucha de canhão e capangas. Acima deles estão os bruxos e bruxas que tomam conta das capelas e se comunicam com os vampiros Cihuateteo para receber as ordens de Mictlantantecuhtli. Existe também um braço da seita conhecido como La Hermandad, que é responsável pelo tráfico de drogas e ações armadas. Seus comandantes são os chefes mundanos da seita, como políticos influentes que comandam o tráfico de drogas de seus apartamentos de luxo nos bairros nobres e conseguem privilégios para os verdadeiros mestres do culto, os Cihuateteo que organizam e comandam a seita em cada periferia das grandes cidades.

OBS.: Os kits abaixo refletem membros que não são fiéis/capangas e estão em uma posição relativamente confortável, mas ainda não tem posições de comando dentro da Santa Muerte.

Santa Muerte – Bruxo

Custo: 2 pts. de Aprimoramento, 200 pts. de Perícia.
Perícias: Armas Brancas (Punhal 30/30), Ciências Proibidas (Rituais 40%, Teoria da Magia 20%, Vampiros 20%), Idiomas (Nahuatl 25%), Manipulação (Impressionar 20%, Lábia 25%, Liderança 20%).
Aprimoramentos: Contatos 2, Poderes Mágicos 2, Pontos de Fé 2.
Caminhos Preferidos: Spiritum.
Pontos de Fé: 2 + 1 a cada dois níveis.
Pontos de Magia: 2 + 1 por nível.
Pontos Heróicos: 0 por nível.

Santa Muerte – La Hermandad

Custo: 3 pts. de Aprimoramento, 250 pts. de Perícia.
Perícias: Armas Brancas (Punhal 30/30), Armas de Fogo (Escolha um subgrupo 30%), Briga 30/30, Etiqueta (Submundo 30%), Idiomas (Nahuatl 20%), Manipulação (Interrogatório 30%, Intimidação 30%, Lábia 20%, Liderança 20%, Tortura 20%), Negociação (Burocracia 20%), Investigação 20%.
Aprimoramentos: Armas de Fogo 1, Contatos 2, Influência (Submundo 1), Pontos de Fé 1, Recursos 2.
Pontos de Fé: 1 + 1 a cada dois níveis.
Pontos de Magia: 0 + 0 por nível.
Pontos Heróicos: 0 por nível.