[Sistema Daemon] Esquecimento de Perícias

Quando uma campanha se alastra por muito tempo e os jogadores deixam de usar algumas perícias, eles esquecem algo do que aprenderam. Isso torna a campanha mais realista, pois imita o fato de que o personagem tem que “desenferrujar” o conhecimento daquela perícia. Quando uma pessoa fica muito tempo sem andar de bicicleta, por exemplo, pode esquecer isso, e para reaprender a andar, precisa retomar a prática. 

Mas é preciso definir quanto tempo um personagem precisa ficar sem usar o conhecimento para esquecer uma perícia. A regra a ser usada é simples: o jogador deve rolar um certo número de testes de dificuldade aumentada para que seu personagem readquira a prática naquela perícia.


Recuperando a Prática

Para cada três meses que o personagem ficou sem usar a perícia ele deve fazer um teste difícil para pode recuperar a prática. O narrador pode diminuir ou aumentar este período conforme achar adequado. De qualquer forma, para cada teste realizado com sucesso na perícia esquecida, o jogador diminui em um o número de testes que faltam para recuperar a prática. 

Hogan ficou cinco anos longe das ruas, só com aquela história de papeladas do FBI. Agora que volta a ação, ele está perseguindo um estuprador. Ele precisa atirar nele, porque o criminoso está pulando uma cerca de arame. O nível do teste seria Normal, mas como Hogan ficou cinco anos longe das ruas, ele precisará fazer um teste difícil desta vez. Hogan tem Pistolas 38, mas seu valor de teste cai pela metade, pois é um teste difícil. O jogador tira 15, portanto conseguiu acertar o sujeito.

O tiro atingiu a perna do estuprador, mas este continua pulando a cerca, e cai do outro lado, e mesmo com a perna ferida, começa a correr. Hogan decide atirar mais uma vez. O teste ainda é difícil pois ele só usou a perícia com sucesso difícil uma vez. O jogador rola os dados e tira um 12. Mais uma vez acertou, o estuprador é atingido nas costas e cai no chão. Agora ele só precisa realizar mais três testes difíceis.

Enquanto o personagem estiver recuperando a perícia, os benefícios dados pelo acerto crítico não ocorrem. Isso quer dizer que o dano é normal, no caso de perícias de combate/armas, ou os efeitos de extrema maestria não são conseguidos nas outras perícias. Se Hogan tivesse tirado um 1 em vez de 12, não teria um acerto crítico, pois ainda está reaprendendo a perícia.

Extra: Considerações sobre o acerto crítico

Veja o que o Módulo Básico do Sistema Daemon diz sobre Acerto Crítico:

“O índice crítico de um Personagem é o valor da Perícia com arma em ataque dividido por 4, arredondado para cima. Se o valor tirado no 1d100 for IGUAL ou MENOR do que o índice crítico, trata-se de um acerto crítico. Significa que o atacante atingiu algum ponto vital do oponente. Pode ter atingido um pulmão, a garganta, ou simplesmente ter acertado com mais força ou em um ponto fraco.”

Em termos de jogo, a conseqüência é que o dano é rolado duas vezes e somado. Note que bônus mágicos ou de Força NÃO são somados duas vezes!

Nele fica explícito que o acerto crítico se aplica somente a perícias de combate. Entretanto, quando narro no Sistema Daemon sempre costumo usar o acerto crítico em outras perícias que não as de combate. Acho justo que um pintor que tenha tido um acerto crítico na perícia Desenho e Pintura produza uma obra-prima, ou um acerto crítico na perícia Primeiros Socorros poderia curar mais do que 1d6 pontos de vida. Chamo isto de extrema maestria, que representa um êxito máximo na habilidade testada.